CEO de agência envolvida no caso de prostituição de celebridades nega todas as acusações


Nota: Todos os nomes entre aspas, bem como o da agência, são nomes fictícios para proteger a identidade das pessoas envolvidas.

O CEO (nome fictício) de uma agência de entretenimento que foi levado ao tribunal com acusações de organização de prostituição de celebridades, negou todas as acusações. O tribunal planeja chamar todas as celebridades acusadas de prostituição à sala de audiências como testemunhas.

Kang” (42 anos), o advogado da agência de entretenimento, disse na segunda audiência do caso que “apresentou os dois indivíduos um ao outro mas não sabia de qualquer relação sexual.

O lado do CEO reivindicou que ‘Kang’ “não sugeriu à celebridade ‘A’ [cantora ‘C’] que ‘podia arranjar dinheiro extra tendo relações sexuais’ e não recebeu qualquer dinheiro por organizar prostituição”, bem como que “compreendemos que a celebridade ‘A’ também está negando tais acusações”.

O diretor “Park”, da mesma agência de “Kang”, tem reivindicado o mesmo, dizendo que introduziu celebridades a indivíduos ricos mas não tinha prostituição em mente.

Estas reivindicações são completamente opostas às confissões de “Lim”, “Yoon” e “Oh”, que foram acusadas de fazer parte do processo de organização de prostituição.

Kang” e “Park” foram acusados de organizarem prostituição com quatro celebridades/aspirantes a celebridade e recebido dinheiro por isso.

Após ouvir da celebridade “A” que iria para os Estados Unidos, “Kang” é suspeito de ter recomendado que ela poderia “receber uma quantidade razoável de dinheiro se tivesse relações sexuais com um homem rico nos Estados Unidos”, recebendo $10,000 por organizar prostituição em Fevereiro do ano passado.

Foi também revelado que “Kang” e “Park” exigiram que a celebridade “B” “pagasse o dinheiro que pediu emprestado no passado” e receberam $25,000 por organizar relações sexuais em Março do mesmo ano.

Mais tarde, depois de “Kang” ter sido pressionado a pagar por investimentos feitos enquanto geria uma agência de entretenimento, ele disse a “Lim” que iria “pagar nem que tivesse de [organizar] prostituir celebridades”, e pediu para ser apresentado a algumas celebridades.

Lim” recomendou então a celebridade “C” e a aspirante a celebridade “D” através do seu ‘juniorYoon. Foi revelado que “Kang” disse a “C” e a “D” que poderiam “fazer muito dinheiro se tivessem relações sexuais com um homem rico dos Estados Unidos” e é suspeito de ter recebido $23,000 pelo encontro.

O juiz principal do caso planeja chamar duas das quatro celebridades que vêm sendo acusadas de prostituição para a terceira audiência, a 20 de Maio, para ouvir os seus testemunhos.

Entretanto, as celebridades/aspirantes a celebridade descobertas de terem se envolvido prostituição com um indivíduo rico foram condenadas a uma multa de 2 milhões de won (cerca de $1,700). Um dos indivíduos negou as acusações e pediu uma audiência oficial, agendada para 1 de Junho.

Tradução: André
Revisão: Boss
Fonte; (1)(2)
CEO de agência envolvida no caso de prostituição de celebridades nega todas as acusações CEO de agência envolvida no caso de prostituição de celebridades nega todas as acusações Reviewed by Lázaro Daniel Debus Hoffmeister on 11:17:00 Rating: 5

Nenhum comentário